• Thich Nhat Hanh
  • Dalai Lama

    Dalai Lama

  • Mingyur Rinpoche

    Mingyur Rinpoche

  • Chogyam Trungpa

    Chogyam Trungpa

  • Home
  • Compaixão
  • Viver em Atenção Plena

COMPAIXÃO
Viver em Atenção Plena

 
Viver em atenção plena é viver, viver plenamente. Viver a única vida real e autêntica, a que só está disponível no momento presente.

O passado já foi, o futuro ainda não é, só o presente é real. Na verdade estamos sempre no presente, embora possamos perdê-lo preocupando-nos obsessivamente com o passado ou o futuro. Pensar no passado ou no futuro não é todavia necessariamente negativo e muitas vezes é útil, se pensarmos no passado e no futuro o mínimo indispensável para tomarmos as decisões correctas acerca do modo de viver o presente e deles nos libertarmos para regressarmos com mais alegria, responsabilidade e confiança ao aqui e agora. E tanto mais habitamos o aqui e agora quanto mais despidos de medos e expectativas relativos ao passado e ao futuro, quanto mais livres de tudo aquilo que nos rouba a única riqueza que possuímos, o presente, com todos os presentes que gratuitamente nos oferece: a vida, as pessoas com quem estamos, o lugar em que estamos, o que fazemos, o céu, a terra, todos os seres e todas as coisas. E tudo isto sempre fresco e novo, acabado de nascer, a cada instante.

Aqui e agora. Plenamente atentos à maravilha deste corpo enraizado no coração da Terra, desta coluna vertebral que nos liga ao Céu, deste coração aberto a tudo o que nos rodeia, desta pele sensível que une e não separa, deste corpo-universo tão rico de sensações.

Aqui e agora. Plenamente atentos ao milagre do inspirar e expirar, desta circulação da energia da vida que tudo impregna e interliga, deste abrigo são, íntimo e profundo a que podemos sempre regressar, livre de problemas, preocupações, dramas e conflitos.

Aqui e agora. Plenamente atentos a todos os pensamentos, emoções, palavras e imagens que se formam, transformam e dissipam no céu vasto, luminoso e imaculado da consciência. Sem nos identificarmos e envolvermos com eles. Contemplando-os em paz e silêncio. Deixando que venham e vão até que sosseguem, se desvaneçam e desencubram o que desde sempre e para sempre somos: céu amplo e aberto.

Aqui e agora. Plenamente atentos a todos os seres e fenómenos que nos rodeiam, inseparáveis de nós e da nossa percepção, sem interior nem exterior.

Plenamente atentos à mutação contínua da dança do mundo, em que tudo sempre acontece pela primeira e única vez.

Aqui e agora. Plenamente atentos a todas as nossas actividades, à nossa vida, inseparável de todas as formas de vida e do mundo de que somos todos criadores a cada instante.

Aqui e agora. Plenamente atentos à frescura original de cada experiência, sem piloto automático, livres de rotinas e hábitos de percepção, interpretação e reacção. Em comunidade pacífica e fraterna, amorosa e compassiva, com tudo o que sente, vive e existe.

Aqui e agora. Nascendo a cada instante.


PARTILHE ESTE ARTIGO

 Enquanto existir o espaço, enquanto aí existirem seres, possa eu também permanecer para dissipar todo o seu sofrimento. 

~ Shantideva

CONTACTOS
Como chegar a nós

CÍRCULO DO ENTRE-SER

FALE CONNOSCO

COORDENADAS

SEGUE-NOS

Segue-nos nas redes sociais

SEGUE-NOS

Segue-nos nas redes sociais