• BannerEntreSer

EVENTOS
Marque na sua agenda

  • Conversas no Coração do Mundo - Junho 2017
  • Prática Semanal de Meditação - c/ Paulo Borges
  • Desaprender até morrer
  • Introdução à Via do Buda - Nível I - Jun2017
  • Concerto Meditativo de Taças Tibetanas

  • Home
  • Prática
  • Tradição de Thich Nhat Hanh

PRÁTICA
Tradição de Thich Nhat Hanh

 
O Círculo do Entre-Ser apoia a prática desenvolvida na Tradição de TNH através de actividades específicas orientadas para esse fim, como é o caso de práticas semanais de meditação e dos Dias de Consciência Plena.

DOCUMENTOS FUNDAMENTAIS:

TRIPLA CONFIANÇA E COMPROMISSO

 
Versão não-sectária do tradicional Triplo Refúgio no Buda, no Dharma e na Sangha (inspirada na fórmula de Thich Nhat Hanh)

  • Aspiro a conectar-me cada vez mais plenamente com a natureza profunda, original e incondicionada que há em mim e em todos os seres sencientes e no inerente potencial de desenvolvermos sabedoria, paz, amor e compaixão ilimitados. Comprometo-me comigo próprio, pelo bem de todos os seres, a cultivar atentamente esta aspiração.
  • Aspiro a conectar-me cada vez mais plenamente com os diversos ensinamentos, métodos e práticas que nos levam a reconhecer essa natureza profunda e a percorrer a via do desenvolvimento de sabedoria, paz, amor e compaixão ilimitados, bem como na minha capacidade de a seguir até à plenitude. Comprometo-me comigo próprio, pelo bem de todos os seres, a cultivar atentamente esta aspiração.
  • Aspiro a conectar-me cada vez mais plenamente com a comunidade de todos os que alcançaram e alcançam a plenitude seguindo essa via e dos que ainda a seguem de modo autêntico, mediante uma diversidade de processos, formas e modos. Comprometo-me comigo próprio,  pelo bem de todos os seres, a respeitar, apoiar e desenvolver essa comunidade, que não se reduz a nenhuma forma institucional e a nenhuma tradição ou religião específicas.

5 TREINOS DA ATENÇÃO PLENA

 
Os Cinco Treinos da Atenção Plena representam um contributo para uma ética e espiritualidade globais, inspirado no Dharma do Buda mas que aponta uma via susceptível de ser percorrida por todos, religiosos de todas as religiões, ateus e agnósticos. Os Cinco Treinos são uma expressão concreta dos ensinamentos do Buda sobre as Quatro Nobres Verdades e o Nobre Caminho Óctuplo, o caminho da compreensão correcta e do amor verdadeiro, que conduz à cura, transformação e felicidade para nós e para o mundo.

Praticar os Cinco Treinos da Atenção Plena é cultivar a visão profunda do entre-ser, ou a visão correcta, que pode remover todo o medo, discriminação, intolerância, cólera e desespero. Se vivermos de acordo com os Cinco Treinos da Atenção Plena, já estamos na via de um bodhisattva.

Sabendo que estamos nessa via, não estamos perdidos em confusão acerca da nossa vida no presente ou em medos acerca do futuro.

OS 5 TREINOS DA ATENÇÃO PLENA:

(adaptados da Order of Inter-Being, fundada por Thich Nhat Hanh)

  • REVERÊNCIA PELA VIDA

    Consciente do sofrimento causado pela destruição da vida, empenho-me em cultivar a visão do entre-ser e da compaixão e em proteger as vidas de homens e animais, bem como as plantas e minerais, respeitando os elementos e a natureza. Estou determinada/o a não matar, não contribuir para que outros matem e, se possível, não deixar outros matar, bem como a não cometer ou apoiar qualquer acto de violência e assassínio, seja no meu pensamento ou no meu modo de vida. Abster-me-ei de consumir, ou reduzirei progressivamente o consumo, da carne dos seres sencientes. Vendo que as acções nocivas procedem do medo, da cólera, da avidez e da intolerância, os quais por sua vez vêm da ignorância e do pensamento dualista e discriminativo, cultivarei abertura, não-discriminação e não-apego às visões conceptuais - religiosas, filosóficas, ideológicas ou outras - , a fim de superar e transformar o dogmatismo, o fanatismo, o fundamentalismo e a violência em mim mesma/o e no mundo. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

  • VERDADEIRA FELICIDADE

    Consciente do sofrimento causado pela exploração, injustiça social, roubo e opressão, empenho-me em praticar a generosidade no pensar, falar e agir. Estou determinada/o a não roubar e a não possuir nada que deva pertencer aos outros e partilharei o meu tempo, energia e recursos materiais com os necessitados. Praticarei a contemplação profunda para ver que a felicidade e o sofrimento dos outros não estão separados da minha própria felicidade e sofrimento, que a verdadeira felicidade não é possível sem compreensão e compaixão e que correr atrás de riqueza, fama, poder e prazeres sensuais pode trazer muito sofrimento e desespero, não garantindo nada de real e permanente e fazendo perder tempo precioso para a verdadeira evolução. Estou consciente de que a felicidade depende da minha atitude mental e não de condições externas e de que posso viver com alegria a cada instante recordando simplesmente que já tenho mais do que o suficiente para ser feliz. Estou empenhada/o em praticar um correcto modo de vida a fim de ajudar a reduzir o sofrimento dos seres sencientes na Terra e a reverter o processo de destruição da biodiversidade e dos recursos naturais, da poluição e das alterações climáticas. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

  • VERDADEIRO AMOR

    Consciente do sofrimento causado pelo comportamento sexual negativo, empenho-me em cultivar a responsabilidade e em proteger a segurança e integridade de indivíduos, casais, famílias e sociedade. Sabendo que o desejo sexual não é amor e que a actividade sexual motivada pela carência e pelo desejo-apego insaciável prejudica sempre a mim e aos outros, estou determinada/o a não me envolver em relações sexuais sem verdadeiro amor e um profundo e duradouro compromisso ético. Farei tudo o que puder para proteger as crianças do abuso sexual e para impedir que casais e famílias sejam desfeitos pelo comportamento sexual negativo. Vendo que o corpo e a mente são um só, empenho-me em aprender modos apropriados de cuidar da minha energia sexual, pondo-a ao serviço do despertar da consciência, e em cultivar bondade, compaixão, alegria e equanimidade – os quatro elementos fundamentais do verdadeiro amor – para minha maior felicidade e dos outros. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

  • ESCUTA PROFUNDA E AFECTUOSA

    Consciente do sofrimento causado por palavras desatentas e pela incapacidade de escutar os outros, empenho-me em cultivar uma escuta profunda e um discurso afectuoso a fim de aliviar o sofrimento e promover a reconciliação e a paz em mim e entre outras pessoas, nações, grupos étnicos e religiosos. Sabendo que as palavras podem criar felicidade ou sofrimento, empenho-me em falar com verdade usando palavras que inspirem confiança, alegria e esperança. Quando a cólera se manifestar, estou determinado a não falar. Praticarei o respirar e caminhar plenamente atentos a fim de reconhecer e contemplar profundamente a cólera. Sei que as suas raízes podem ser encontradas nas minhas percepções erróneas e na falta de compreensão do sofrimento em mim e nos outros. Escutarei e falarei de um modo que possa ajudar a mim e aos outros a transformar o sofrimento e a ver a saída de situações difíceis. Estou determinada/o a não espalhar notícias que não saiba serem certas ou benéficas e a não proferir palavras que possam causar divisão ou discórdia. Empenho-me também em não fomentar distracções, emoções negativas e perda de tempo com conversas fúteis. Praticarei a correcta diligência para nutrir a minha capacidade de compreensão, amor, compaixão, alegria e equanimidade e transformar gradualmente o medo, a cólera, o apego e a violência que residam no fundo da minha consciência. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

  • NUTRIÇÃO E CURA

    Consciente do sofrimento causado pelo consumo desatento, empenho-me em cultivar uma boa saúde, física e mental, para mim, a minha família e sociedade, praticando um comer, beber e consumir plenamente atentos. Praticarei o contemplar profundamente o modo como consumo as quatro espécies de nutrientes, nomeadamente alimentos comestíveis, impressões sensoriais, volições e estados de consciência. Estou determinada/o a não jogar a dinheiro e a não usar ou a reduzir progressivamente o uso de substâncias que lesem a mente e o corpo, como drogas, tabaco, álcool (pelo menos em excesso) ou quaisquer outros produtos que induzam toxinas mentais, como certos sítios na net, jogos electrónicos, programas de televisão, filmes, revistas, livros e conversas. Praticarei o regressar ao instante presente para estar em contacto com os elementos refrescantes, curativos e nutrientes em mim e ao meu redor, não deixando que pesares e tristeza me arrastem para o passado nem que ansiedades, medo ou desejo ávido me arranquem do aqui e agora. Estou determinada/o a não tentar encobrir a solidão, a ansiedade ou outro sofrimento perdendo-me no consumo. Contemplarei o entre-ser e consumirei de um modo que preserve a paz, a alegria e o bem-estar no meu corpo e consciência, bem como no corpo e consciência colectivos da minha família e sociedade, dos seres sencientes e da Terra. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

14 TREINOS DA ATENÇÃO PLENA

 
Os Catorze Treinos da Atenção Plena são a própria essência da Ordem do Entre-Ser e do Círculo do Entre-Ser. Eles são a tocha que ilumina o nosso caminho, o barco transportando-nos, o professor guiando-nos. Eles permitem-nos tocar a natureza da Entre-Ser em tudo o que é, e ver que a nossa felicidade não está separado de a felicidade dos outros.

Entre-Ser não é uma teoria, é uma realidade que pode ser diretamente experimentada por cada um de nós a qualquer momento.

Os Catorze Treinos da Atenção Plena ajudam-nos a cultivar a concentração e o discernimento que nos libertam do medo e da ilusão de um eu separado.

OS 14 TREINOS DA ATENÇÃO PLENA:

(adaptados da Order of Inter-Being, fundada por Thich Nhat Hanh)

  • ABERTURA

    Conscientes do sofrimento criado pelo fanatismo e pela intolerância, estamos decididos a não ser idólatras em relação a, ou sujeitos a, qualquer doutrina, teoria ou ideologia, mesmo as budistas. Os ensinamentos budistas são meios orientadores para nos ajudar a ver profundamente e a desenvolver a nossa compreensão e compaixão. Não são doutrinas pelas quais combater, matar ou morrer.

  • DESAPEGO A OPINIÕES

    Conscientes do sofrimento criado pelo apego a visões e percepções falsas, estamos decididos a evitar ter mentes estreitas e amarradas às visões presentes. Aprenderemos e praticaremos o não apego às visões a fim de estarmos abertos às compreensões e experiências dos outros. Estamos conscientes de que o conhecimento que presentemente possuímos não é a verdade imutável e absoluta. A verdade encontra-se na vida e observaremos a cada instante a vida no nosso íntimo e à nossa volta, prontos para aprender do princípio ao fim das nossas existências.

  • VERDADEIRO AMOR

    Consciente do sofrimento causado pelo comportamento sexual negativo, empenho-me em cultivar a responsabilidade e em proteger a segurança e integridade de indivíduos, casais, famílias e sociedade. Sabendo que o desejo sexual não é amor e que a actividade sexual motivada pela carência e pelo desejo-apego insaciável prejudica sempre a mim e aos outros, estou determinada/o a não me envolver em relações sexuais sem verdadeiro amor e um profundo e duradouro compromisso ético. Farei tudo o que puder para proteger as crianças do abuso sexual e para impedir que casais e famílias sejam desfeitos pelo comportamento sexual negativo. Vendo que o corpo e a mente são um só, empenho-me em aprender modos apropriados de cuidar da minha energia sexual, pondo-a ao serviço do despertar da consciência, e em cultivar bondade, compaixão, alegria e equanimidade – os quatro elementos fundamentais do verdadeiro amor – para minha maior felicidade e dos outros. Ao praticar isto, não me verei como superior e não desprezarei aqueles que ainda o não praticam, considerando-os com compreensão, amor e compaixão.

  • LIBERDADE DE PENSAMENTO

    Conscientes do sofrimento causado quando impomos as nossas visões aos outros, empenhamo-nos em não forçar os outros, mesmo os nossos filhos, seja por que meios for – tais como autoridade, ameaças, dinheiro, propaganda ou doutrinação –, a adoptarem as nossas visões. Respeitaremos o direito dos outros a serem diferentes e a escolherem em que acreditar e como decidir. Ajudaremos, contudo, os outros a renunciarem ao fanatismo e à estreiteza mental, praticando profundamente e comprometendo-nos num diálogo compassivo.

  • CIÊNCIA DO SOFRIMENTO

    Conscientes de que contemplar profundamente a natureza do sofrimento pode ajudar-nos a desenvolver compaixão e a encontrar caminhos para sair dele, estamos decididos a não evitar ou a fechar os nossos olhos perante o sofrimento. Empenhamo-nos em descobrir modos, incluindo contacto pessoal, imagens e sons, para estar com aqueles que sofrem, a fim de podermos compreender profundamente a sua situação e ajudá-los a transformar o seu sofrimento em compaixão, paz e alegria.

  • VIVER COM SAÚDE E COMPAIXÃO

    Conscientes de que a verdadeira felicidade se enraíza na paz, na solidez, na liberdade e na compaixão, e não na riqueza ou na fama, estamos decididos a não assumir como objectivo da nossa vida a fama, o lucro, a riqueza ou o prazer sensual, nem a acumular riqueza enquanto milhões têm fome e morrem. Empenhamo-nos em viver com simplicidade e partilhar o nosso tempo, energia e recursos materiais com os necessitados. Praticaremos um consumo plenamente atento, não usando álcool, drogas ou quaisquer outros produtos que tragam toxinas para o nosso próprio corpo e consciência ou para o corpo e consciência colectivos.

  • CUIDANDO DA RAIVA

    Conscientes de que a cólera bloqueia a comunicação e cria sofrimento, estamos decididos a cuidar da energia da cólera quando ela surge e a reconhecer e transformar as sementes de cólera que residem no fundo da nossa consciência. Quando a cólera emerge, empenhamo-nos em não fazer ou dizer nada, mas em praticar o respirar ou o caminhar plenamente atentos e reconhecer, abraçar e contemplar profundamente a nossa cólera. Aprenderemos a olhar com os olhos da compaixão para nós mesmos e para aqueles que pensamos serem a causa da nossa cólera.

  • VIVENDO FELIZES NO MOMENTO PRESENTE

    Conscientes de que a vida está disponível apenas no momento presente e de ser possível viver com felicidade no aqui e agora, empenhamo-nos em treinar-nos para viver profundamente cada momento da vida quotidiana. Tentaremos não nos perder na dispersão ou ser arrastados por mágoas acerca do passado, por inquietações acerca do futuro ou por desejo insaciável, cólera ou ciúme no presente. Praticaremos a respiração plenamente atenta para regressar ao que está a acontecer no momento presente. Estamos decididos a aprender a arte de viver com atenção plena estando em contacto com os elementos maravilhosos, refrescantes e curativos que estão dentro de nós e à nossa volta e nutrindo as sementes de alegria, paz, amor e compreensão em nós mesmos, facilitando assim a obra de transformação e cura na nossa consciência.

  • COMUNIDADE E COMUNCICAÇÃO VERDADEIRA

    Conscientes de que a falta de comunicação traz sempre separação e sofrimento, empenhamo-nos em exercitar-nos na prática da escuta compassiva e da fala amorosa. Aprenderemos a escutar profundamente sem julgar ou reagir e a abster-nos de proferir palavras que possam criar discórdia ou causar quebra de comunicação. Faremos todo o esforço por manter a comunicação aberta e reconciliar e resolver todos os conflitos, mesmo pequenos.

  • FALA VERDADEIRA E AMOROSA

    Conscientes de que as palavras podem causar sofrimento ou felicidade, empenhamo-nos em aprender a falar com verdade e de modo construtivo, usando apenas palavras que inspirem esperança e confiança. Estamos decididos a não dizer coisas falsas por interesse pessoal ou para impressionar as pessoas, nem proferir palavras que possam causar divisão ou ódio. Não espalharemos notícias que não saibamos ser certas nem criticaremos ou condenaremos coisas das quais não estamos seguros. Faremos o nosso melhor por denunciar situações de injustiça, mesmo quando fazê-lo possa ameaçar a nossa segurança.

  • PROTEGENDO E NUTRINDO A SANGHA

    Conscientes de que a essência e o objectivo de uma Sangha é a prática da compreensão e da compaixão, estamos decididos a não usar a comunidade budista para ganho ou proveito pessoais ou transformar a nossa comunidade num instrumento político. Uma comunidade espiritual deve, contudo, tomar uma posição clara contra a opressão e a injustiça e deve esforçar-se por mudar a situação sem se envolver em conflitos partidários.

  • VIDA CORRECTA

    Conscientes da grande violência e injustiça exercidas sobre o nosso meio ambiente e sociedade, empenhamo-nos em não desempenhar uma profissão que seja prejudicial para os humanos e a natureza. Faremos o nosso melhor por escolher um meio de subsistência que ajude a realizar o nosso ideal de compreensão e compaixão. Conscientes das realidades globais económicas, políticas e sociais, comportar-nos-emos responsavelmente como consumidores e cidadãos, não apoiando empresas que privem os outros da sua possibilidade de viver.

  • REVERÊNCIA PELA VIDA

    Conscientes de que muito sofrimento é causado pela guerra e pelos conflitos, estamos decididos a cultivar a não-violência, a compreensão e a compaixão nas nossas vidas quotidianas, a promover a educação para a paz, a mediação plenamente atenta e a reconciliação nas famílias, comunidades e nações, bem como no mundo. Estamos decididos a não matar e a não deixar os outros matar. Praticaremos com diligência a contemplação profunda com a nossa Sangha (comunidade) para descobrir melhores maneiras de proteger a vida e evitar a guerra.

  • GENEROSIDADE

    Conscientes do sofrimento causado pela exploração, pela injustiça social, pelo roubo e pela opressão, empenhamo-nos em cultivar a bondade amorosa e em aprender formas de trabalhar para o bem-estar de pessoas, animais, plantas e minerais. Praticaremos a generosidade partilhando o nosso tempo, energia e recursos materiais com os necessitados. Estamos decididos a não roubar e a não possuir nada que deva pertencer aos outros. Respeitaremos a propriedade dos outros, mas tentaremos impedir os outros de lucrar com o sofrimento humano ou com o sofrimento de outros seres.

  • CONDUTA CORRECTA

    Conscientes de que as relações sexuais motivadas pelo desejo insaciável não podem dissipar o sentimento de solidão, mas criarão mais sofrimento, frustração e isolamento, estamos decididos a não nos envolver em relações sexuais sem compreensão mútua, amor e um compromisso duradouro. Nas relações sexuais, devemos estar conscientes do futuro sofrimento que pode ser causado. Sabemos que para preservar a nossa felicidade e a dos outros devemos respeitar os direitos e compromissos nossos e dos outros. Faremos tudo ao nosso alcance para proteger as crianças do abuso sexual e para proteger os casais e as famílias de serem desfeitos pelo mau comportamento sexual. Trataremos os nossos corpos com respeito e preservaremos as nossas energias vitais (sexual, do sopro e do espírito) para a realização do nosso ideal de Bodhisattva. Estaremos plenamente conscientes da responsabilidade de trazer novas vidas ao mundo e meditaremos no mundo para o interior do qual estamos a trazer novos seres.


PARTILHE ESTE ARTIGO

 Enquanto existir o espaço, enquanto aí existirem seres, possa eu também permanecer para dissipar todo o seu sofrimento. 

~ Shantideva

CONTACTOS
Como chegar a nós

CÍRCULO DO ENTRE-SER

FALE CONNOSCO

COORDENADAS

SEGUE-NOS

Segue-nos nas redes sociais

SEGUE-NOS

Segue-nos nas redes sociais